terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O Muro de Trump

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump está a tentar conseguir aprovação no congresso para a construção de um muro na fronteira entre o México e os Estados Unidos. A minha sugestão é, se o problema é o custo elevado da construção do muro, contratem imigrantes ilegais para sair mais barato.

As minha memórias

Estou a escrever as minhas memórias. Começam assim:

"Não me lembro de quase nada."

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Uma Sanita Para Trump

Segundo a imprensa, Trump pediu ao museu Guggenheim que fosse emprestado um quadro de Van Gogh para a ala privada da Casa Branca. Mas a curadora do museu recusou o pedido e sugeriu antes que Trump levasse uma sanita feita de ouro dum artista italiano.


Deixem-me ver se percebi. A curadora do museu quis ofender Trump sugerindo-lhe uma peça... do seu próprio museu! Ela lá sabe as porcarias que tem no museu.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Os Loucos Que Nos Governam

O problema não são os loucos que nos governam. São os idiotas que votaram neles.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Bilhetes para o concerto dos U2 esgotaram numa hora

Os bilhetes para o concerto dos U2 em Portugal esgotaram uma hora depois de terem sido postos à venda. Não deixa de ser irónico pessoas gastarem 350€ para assistirem a um concerto onde se vai apelar ao fim da pobreza.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Calzedonia solidária

A marca de meias Calzedonia desenvolveu para este Natal uma campanha solidária "Natal e Meias" para angariar fundos para ajudar os sem-abrigo. A marca desenvolveu modelos de meias especificamente para esta campanha em que, do valor de venda de cada par, metade reverte para a campanha solidária de ajuda aos sem abrigo.

Bem pode dizer-se que o dinheiro que vai para os sem-abrigo é "dinheiro deitado à rua".


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Cancão do Radical

Na escola
Cheirava cola

Saltava muros
Dava murros

Era porrada
Por tudo e por nada

Fui expulso
Não queria um curso

Trabalhei nas obras
Comia sobras

Queria uma mansão
Guiar um carrão

Para quê comprar
Se podia roubar

Conheci uma rapariga
Tornou-se amiga

Riu-se de mim
Foi o fim

Safou-se por um triz
Com uma cicatriz

Na prisão
Encontrei o islão

O mundo é imoral
Está tudo mal

Aos quarenta de idade
Saí em liberdade

No além
Tudo estará bem

Vou deixar esta vida
Num ataque suicida

Deixar este reboliço
Ir para o paraíso

Está na hora
É agora

A bomba a explodir
Eu a sorrir

Há vida depois da morte
Estou com sorte

As setenta e duas
Vão ser tuas

Vejo um tipo de pé
Deve ser Maomé

Ouve lá
Diz-me cá

Fiz a minha luta
Quero uma festa maluca

Não sabes de nada
Queres uma chapada

Diz que é Buda
Ah, filho da puta

domingo, 20 de agosto de 2017

terrorismo terrorismo - um poema

É durante o Verão
que há mais turistas.
Logo uma boa ocasião
para ataques terroristas.

Estamos na rua a andar,
ou numa festa de arromba,
eles querem nos matar
com um carro, faca ou bomba.

Mas não digam que a violência
segue o Islão de perto.
Um terrorista sofre de demência
ou tem a conta a descoberto.

Terrorismo não é Islão.
Um Muçulmano só quer rezar
com a cabeça no chão
e o cu para o ar.

Os nossos dirigentes
protegem-se com seguranças.
A eles não chega esta gente
com queda para matanças.

Mais tarde ou mais cedo
virá outra agressão.
Não tenham medo,
dizem-nos na televisão.

Portanto deixa-te de islamofobia
e vai dar uma volta.
Veste-te bem janota
que pode ser o teu último dia.

sábado, 5 de agosto de 2017

Cristiano Ronaldo e Irina Shayk

O verdadeiro motivo pelo qual acabou o namoro de Cristiano Ronaldo e Irina Shayk. Terminou o leasing.



quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Igualdades

Em Londres, o Mayor da cidade Sadiq Khan proibiu anúncios comerciais que promovam "expectativas irrealistas" de saúde e forma do corpo como este -


A ideia é que anúncios em que pessoas bonitas, em forma não possam, utilizando a palavra do Mayor, "envergonhar" os outros mortais que nunca serão pessoas bonitas e em forma.

Eu acho que isto devia ser só o princípio. Afinal de contas -

- se vou a uma livraria, encontro milhares de livros que eu nunca poderia vir a escrever, o que me envergonha

- se pego num telemóvel, apercebo-me que é um aparelho de tecnologia que eu nunca conseguiria vir a desenvolver, o que me envergonha

- se vejo um jogo de futebol, sei que nunca conseguiria jogar assim, o que me envergonha

- se sei que um Prémio Nobel foi atribuído a alguém que se destacou na Medicina, Economia, Astronomia, descobrindo coisas que eu nunca conseguiria, o que envergonha -

o melhor mesmo é proibir tudo o que não sejam necessidades fisiológicas alcançáveis por toda a gente, como dormir, comer, defecar.

Só assim finalmente seremos todos igualmente horríveis e inúteis.